Procedimentos estéticos integrados

Procedimentos estéticos integrados

Compartilhar

Diego Klee e convidados apresentam caso clínico em que incidente traumático lesionou o ligamento periodontal, exigindo a realização de procedimentos estéticos integrados.

Paciente do sexo masculino, com 23 anos de idade e histórico de avulsão e reimplante do elemento 11 aos 12 anos de idade. O incidente traumático lesionou o ligamento periodontal, causando a anquilose alvéolo-dental, que consiste na união anatômica direta entre o cemento e o osso alveolar.

Este processo interrompeu precocemente os movimentos eruptivos deste dente e tecidos circunjacentes na arcada dentária, que normalmente ocorrem após o período de erupção ativa, gerando um desnível em relação ao dente homólogo de aproximadamente 3 mm. Além disso, ocorreu o processo de reabsorção radicular por substituição.

O exame clínico e radiográfico confirmou a gravidade do caso, levando à indicação da exodontia deste elemento e instalação de implante osseointegrado. Em função da presença de amplas restaurações insatisfatórias em resina composta nos dentes 12 e 21, bem como de formatos inadequados dos dentes anteriores, foram planejadas coroas e facetas cerâmicas para o setor anterior.

Leia também: Isolamento absoluto para a cimentação de laminados cerâmicos

Para a correção da discrepância de altura das margens gengivais entre os incisivos centrais, algumas abordagens interdisciplinares foram previamente realizadas. Instalou-se aparelho ortodôntico com arco retangular, com o braquete do elemento 11 fixado em desnível de 3 mm (direção apical) em relação aos demais dentes anteriores, e realizou-se a osteotomia segmentar contornando o dente 11.

O conjunto dente/osso alveolar foi totalmente separado da pré-maxila, ficando preso apenas pela mucosa palatina e parte da mucosa vestibular, às quais mantiveram seu aporte sanguíneo. O dente foi então fixado ao arco ortodôntico e o bloco ósseo fixado por miniplacas e parafusos. Os espaços gerados pela osteotomia foram preenchidos com biomaterial. Este procedimento cirúrgico possibilitou o nivelamento dos contornos gengivais dos incisivos centrais do paciente.

Leia também: Selamento alveolar com cicatrizador personalizado após colocação imediata do implante

Após seis meses, foi realizada a remoção da raiz dental remanescente e colocação imediata do implante osseointegrável, seguido de enxerto ósseo e conjuntivo provenientes da tuberosidade do paciente. A coroa de transição foi instalada na mesma sessão. Ao final do processo de osseointegração, o enceramento diagnóstico do caso guiou os preparos dentais. Realizou-se a moldagem dos dentes preparados, bem como do implante osseointegrado, e confeccionou-se o modelo de trabalho.

O pilar protético do dente 11 foi fabricado empregando-se um link metálico (titânio) e cerâmica vítrea reforçada por dissilicato de lítio. Optou-se por coroas totais cerâmicas reforçadas com dissilicato de lítio nos dentes 11, 12 e 21. Para os dentes 13, 22 e 23, optou-se por laminados cerâmicos também em cerâmica vítrea reforçada com dissilicato de lítio, com preparos minimamente invasivos, por serem dentes hígidos e com substrato favorável. As peças cerâmicas foram provadas antes da cimentação definitiva. Após a aprovação do paciente, o procedimento de cimentação adesiva foi realizado, resultando em uma excelente integração entre os materiais cerâmicos, estrutura dental e tecidos moles.