Simplificando o controle de cores na dentina

Simplificando o controle de cores na dentina

Compartilhar

Cores na dentina: David Morita mostra a preparação de um elemento anterior com a utilização de uma técnica do técnico suíco Jürgen Seger.

Nessa edição, vou compartilhar uma técnica que utilizo com frequência e que aprendi há algum tempo com o técnico em prótese dentária Jürgen Seger, da Suíça.

Uma das tarefas mais difíceis para o TPD é fazer com que todas as massas coloridas de cerâmica fiquem exatamente na posição em que ele gostaria e que formem os desenhos conforme a sua aplicação. Porém, quando aplicamos as massas de efeitos junto com a dentina, é necessário ter o controle da contração do material e compensar a redução da cerâmica após a cocção no forno. Em muitos casos, as massas coloridas, que têm como finalidade reproduzir as cores dos dentes, acabam saindo da posição ideal após o cozimento, gerando uma grande frustração para o técnico.

Esse tipo de ocorrência consome o tempo do profissional, que se vê obrigado a corrigir essas imperfeições antes de iniciar a aplicação do esmalte, caso ele tenha optado pela técnica de separar a camada de dentina do esmalte. Essas correções nem sempre resolvem o problema na primeira tentativa e, com frequência, outras correções precisam ser feitas. Lembre-se: quanto menos queimas forem realizadas em sua aplicação, melhor será o resultado final da sua restauração.

A técnica proposta por Jürgen Seger é bem simples. Primeiro, é preciso fazer a fundação no coping antes de aplicar qualquer camada de cerâmica. Neste caso, para umedecer a superfície, utilizei Shade 1 e.Max Ceram. Para cromatizar e abaixar o valor do coping, pulverizei pó de cerâmica de margem ou ombro.

Após a realização desta queima, apliquei uma fina camada de massa de margem para mascarar o coping de zircônia utilizado. A massa de margem tende a ser mais luminosa e opaca, por isso tem o poder de mascarar o coping ocupando menos espaço na restauração. Isto significa mais espaço para aplicação das camadas de cerâmica, além de servir como dentina opaca, conforme aprendi com o professor Paulo Kano.

Após a queima da massa de margem, aplicamos massa de dentina, desenhando os lóbulos dentinários e complementando a extensão da dentina com massa translúcida para determinar a altura e largura da peça. Realizada a cocção da camada de dentina, seguimos aplicando as massas de efeitos. Isto se torna interessante, uma vez que agora podemos determinar exatamente em qual posição desejamos os efeitos de cores no dente de cerâmica. Misturando pigmentos nas massas coloridas de cerâmicas, conseguimos uma significativa redução do volume aplicado, atingindo o efeito desejado.

Para melhores resultados, é interessante utilizar líquidos com mais viscosidade para não ter ressecamentos, o que prejudica o resultado da aplicação. Realize a queima dessas massas antes da aplicação do esmalte. Abaixe dez graus na temperatura final, aumente a temperatura de subida de aquecimento e diminua o tempo de exposição da temperatura final. Isso irá garantir que a camada aplicada anteriormente não sofra mudanças na cocção dos efeitos. Após a queima dos efeitos, realize a aplicação da camada de esmalte e finalize a restauração.

Confira, a seguir, a preparação de um elemento anterior no qual esta técnica foi utilizada.

Confira um vídeo demonstrando a fase de aplicação da massa de efeitos no elemento: 

David Morita
David Morita
Técnico em prótese dentária – Senac; Proprietário do Laboratório e Instituto de Treinamento David Morita; Segundo secretário da Assembleia Administrativa da SBO Digital.

Este post tem um comentário

Comentários encerrados.