Seis dicas simples (mas muito importantes) para gerir suas finanças
Pratique cada uma destas recomendações e terá sucesso sempre. (Imagem: Depositphotos)

Seis dicas simples (mas muito importantes) para gerir suas finanças

Compartilhar

Controle de gastos, planejamento financeiro, análise tributária e mais: Plínio Tomaz traz dicas importantes para gerir finanças.

A saúde financeira é um dos aspectos mais importantes na gestão de sua clínica ou consultório odontológico – assim como de qualquer outro negócio. Como o nosso tempo, energia e atenção são cada vez mais escassos, vou compartilhar com vocês algumas dicas simples, porém de alto impacto, essenciais para o que chamamos de administração financeira.

1. Monitore seus gastos… separados

Esta é óbvia (ou deveria ser), mas não custa repetir: anote tudo o que gasta e recebe, e jamais misture contas pessoais com as contas do consultório.

Tudo deve ser anotado diariamente, para você acompanhar suas metas e avaliar se está atingindo cada uma delas. Observe se está gastando mais do que deveria e ajuste datas de recebimento e/ou de gastos, além das contas em si.

2. Faça um planejamento financeiro

Com uma planilha simples, você pode controlar:

a) Suas metas de faturamento, mês a mês;
b) Sua previsão de gastos, mês a mês (não esqueça do 13o salário, férias e outros);
c) Sua previsão de receitas, mês a mês;
d) A quantidade de recursos necessária para manter o consultório funcionando;
e) Quanto precisa guardar para fazer investimentos futuros, comprar um determinado equipamento, fazer uma reforma etc.

Lembre-se sempre de que o lucro é muito mais importante do que o faturamento. É importante que você saiba o quanto quer lucrar, quanto precisa faturar para atingir esse valor e quais os seus limites de gastos para que nunca estoure suas contas.

3. Análise tributária

Este é um item que, muito provavelmente, você não sabe fazer e até foge do assunto. No entanto, essa fuga é justamente o comportamento que pode te levar à falência, por pagar mais imposto do que deveria ou poderia.

Recomendo que você consulte um advogado tributarista ou, se preferir, um bom contador. De preferência, você deve consultar um profissional que não seja o mesmo que organiza seus tributos no dia a dia. Ele vai analisar os seus números e te mostrar qual a melhor opção tributária para o seu caso. Pode ser lucro real, lucro presumido, simples nacional etc. Não caia na armadilha das “receitas de bolo”. O que é bom para o consultório de seu colega de turma pode ser péssimo para você.

4. Não mexa no seu capital de giro

Quanto de dinheiro você precisa ter em caixa no início do mês para que, ao longo dos próximos 30 dias, você não fique no vermelho (negativo) em nenhum momento? A esse montante damos o nome de capital de giro.

Em outras palavras, capital de giro é aquele recurso que você utiliza para sustentar o dia a dia do consultório, o que inclui o dinheiro que você deve reservar para pagar fornecedores (dental, laboratório de prótese etc.), funcionários e demais custos fixos (aluguel, condomínio, IPTU entre outros).

Nunca use essa reserva em contas pessoais, pois pode colocar o funcionamento e equilíbrio do consultório em risco. Capital de giro é sagrado.

5. Pague suas contas até a data de vencimento

Óbvio demais? Talvez. Espero que sim, mas não custa alertar.

Seja controlado e evite atrasar o pagamento das contas do consultório. Isso pode virar um mau hábito em você e já vi casos graves. Nem sempre dá para prever o lucro de amanhã e você pode ficar sem dinheiro para quitar a dívida atrasada, o que gera multas e juros, ou seja, gastos desnecessários.

Certa vez, vi um colega que se gabava de fazer “todos os pagamentos do mês um único dia”, se não me engano, todo dia 15. Desta forma, não importa se a conta havia vencido no dia 01, 02, 05 ou 10, o sujeito só pagava no dia 15, não se importando com a multas. Também pagava no dia 15 as contas do dia 16, 20, 25, etc. Um verdadeiro gênio, só que não! Fiz as contas com ele: pagava R$ 1.300,00/mês só de multa e juros absolutamente desnecessários. Mas, acredite se quiser, nem assim a criatura se convenceu a mudar sua “técnica de gestão”.

6. Nunca retire todo o seu lucro

Receitas menos despesas é igual ao lucro. Certo?

E o que você faz com o seu lucro? Tira tudo e deixa sua empresa (consultório) no zero? Não faça mais isso, pois este é um dos principais motivos de quebra das microempresas, você sabia?

Sobrou R$ 10 mil? Tira R$ 8 mil e deixe R$ 2 mil, algo assim. Entende?

E o que eu faço com este dinheiro que sobra? Bom, além do seu capital de giro, você precisa fazer provisões e reservas. Não importa o tamanho do seu consultório, enriqueça-o, ou seja, torne o seu consultório muito rico, muito antes de você. Inverter esta ordem é extremamente perigoso.

Não fique só na teoria. Pratique cada uma destas recomendações acima e terá sucesso sempre.