Elevação do assoalho do seio maxilar através da crista alveolar com instrumentos rotatórios: avaliação clínica e radiográfica

Elevação do assoalho do seio maxilar através da crista alveolar com instrumentos rotatórios: avaliação clínica e radiográfica

Compartilhar

Artigo demonstra a utilização de uma nova técnica de acesso ao seio maxilar, através da crista alveolar, com instrumentos rotatórios.


AUTORES

César Augusto Magalhães Alves Panighel
Especialista em Implantodontia – Unisanta; Mestre em Implantodontia – São Leopoldo Mandic.
Orcid: 0000-0003-1844-7882.

Lia Kobayashi de Oliveira
Aluna de mestrado, Depto. de Cirurgia, Estomatologia, Patologia e Radiologia – FOB/USP.
Orcid: 0000-0002-0988-6288.

Isabela Toledo Teixeira da Silveira
Aluna de mestrado, Depto. de Cirurgia, Estomatologia, Patologia e Radiologia – FOB/USP.
Orcid: 0000-0001-6256-2189.

Osny Ferreira Jr.
Professor do Depto. de Cirurgia, Estomatologia, Patologia e Radiologia – FOB/USP.
Orcid: 0000-0002-5813-3127.

Paulo Sérgio Perri de Carvalho
Professor do Depto. de Cirurgia, Estomatologia, Patologia e Radiologia – FOB/USP.
Orcid: 0000-0003-1775-3108.


RESUMO

Objetivo: demonstrar a utilização de uma nova técnica de acesso ao seio maxilar, através da crista alveolar, com instrumentos rotatórios (SCA Kit/Neobiotech – Seoul, Coreia do Sul). Material e métodos: foram selecionados 24 pacientes, dos quais foram operados 26 seios maxilares e realizados 37 acessos ao seio maxilar. A abordagem ao seio nesta técnica foi individualizada para cada implante. Resultados: o percentual de rompimento durante a osteotomia foi de 3,22%; durante a acomodação do biomaterial, o percentual foi de 3,33%. A média do ganho em altura obtido com a técnica após seis meses de acompanhamento foi de 5,92 mm. Conclusão: a abordagem ao seio se mostrou relativamente segura e o ganho de altura significativo, possibilitando a reabilitação protética da região dos casos operados. Além disso, os pacientes relataram mínimo desconforto trans e pós-operatório.

Palavras-chave – Implante dentário; Seio maxilar; Enxertia óssea.

ABSTRACT

Objective: to demonstrate the use of a new access technique to the maxillary sinus, through the alveolar crest, with rotating instruments (SCA Kit/Neobiotech – Seoul, South Korea). Material and methods: upon inclusion/exclusion criteria, 24 patients were selected, being 26 maxillary sinuses operated and 37 accesses to the maxillary sinus performed. The surgical approach in this technique was individualized to insert each dental implant. Results: the percentage of sinus membrane rupture during osteotomy was 3.22%; during biomaterial insertion/packing, this percentage was 3.33%. The average height gain obtained after six months of follow-up was 5.92 mm. Conclusion: this surgical approach proved to be relatively safe and the height gain was significant, which allowed for the prosthetic rehabilitation of the dental implants. In addition, patients reported minimal trans – and postoperative discomfort.

Key words – Dental implant; Maxillary sinus; Bone grafting.

Recebido em jul/2020
Aprovado em out/2020