Características e distribuição da frequência de configurações de defeitos ósseos em lesões peri-implantares – série com 193 casos

Características e distribuição da frequência de configurações de defeitos ósseos em lesões peri-implantares – série com 193 casos

Compartilhar

Uma seleção dos artigos científicos mais relevantes publicados recentemente nos periódicos internacionais.

Wehner C, Bertl K, Durstberger G, Arnhart C, Rausch-Fan X, Stavropoulos A. Characteristics and frequency distribution of bone defect configurations in peri-implantitis lesions – a series of 193 cases. Clin Implant Dent Relat Res 2021;23(2):178-88.

Por que é interessante? O artigo fornece insights importantes sobre as configurações dos defeitos ósseos peri-implantares, revelando seus possíveis indicadores.

Desenho experimental: coleta retrospectiva de parâmetros para análise: idade, gênero, tabagismo, tipo de prótese do paciente, superfície, tipo de conexão, plataforma e desadaptação do implante, região, posição do implante no rebordo, características do defeito e estruturas vizinhas.

Os achados: foram avaliados 193 implantes, sendo que houve maior prevalência nos defeitos Classe Ic de 25,4% (ou seja, deiscência óssea bucal em combinação com um defeito circunferencial), e Classe Id de 23,8% (ou seja, deiscências ósseas bucais e orais combinadas com defeitos intraósseos mesiais e distais). Deiscências variaram entre 2,8 mm e 7 mm. A arcada, posição do implante na crista alveolar e a desadaptação pilar-implante mostraram associações significativas com a extensão/ configuração do defeito.

Conclusão: a maioria dos defeitos exibe uma combinação do componente intraósseo e uma deiscência vestibular/bucal, com defeitos puramente circunferenciais sendo raros. Os implantes com deiscência óssea estavam mais perto do aspecto lateral do rebordo.

Veja o artigo original aqui.