Avaliação clínica longitudinal retrospectiva de reabilitações sobre implantes após terapia para câncer de cabeça e pescoço

Avaliação clínica longitudinal retrospectiva de reabilitações sobre implantes após terapia para câncer de cabeça e pescoço

Compartilhar

Uma seleção dos artigos científicos mais relevantes publicados recentemente nos periódicos internacionais.

Pieralli S, Spies BC, Schweppe F, Preisnner S, Nelson K, Heiland M et al. Retrospective long-term clinical evaluation of implant prosthetic rehabilitations after head and neck cancer therapy. Clin Oral Implants Res 2021;32(4):470-86.

Por que é interessante? O estudo analisa os resultados relatados pelos pacientes (PROMs) com histórico de câncer de cabeça e pescoço, tratados com ressecção do tumor ou com radioterapia adjuvante.

Desenho experimental: participaram do estudo 28 homens e 29 mulheres, com 322 implantes dentários e 79 reconstruções protéticas. O grupo coorte similar (sem patologia) funcionou como controle. Desfecho primário: taxa de sobrevivência dos implantes e das próteses. Desfechos secundários: parâmetros do tecido mole peri-implantar e complicações técnicas nas próteses. Escala de análise visual (EAV) e uso do OHIP-14 (Oral Health Impact Profile).

Os achados: após 82 meses, a taxa de sobrevivência dos implantes foi 98%, sendo quatro perdidos no grupo com ressecção do tumor. Os índices de placa e sangramento foram maiores nos grupos com câncer de cabeça e pescoço. Não houve falhas nas próteses. Valores EAV foram maiores para próteses sobre barra, quando comparadas aos encaixes Locator. Os valores OHIP-14 foram maiores nos grupos com câncer de cabeça e pescoço.

Conclusão: o uso de enxertos de tecido mole resultou na estabilização da mucosa peri-implantar em pacientes irradiados.

Veja o artigo original aqui.