A Odontologia se despede de Carlos Eduardo Francischone

A Odontologia se despede de Carlos Eduardo Francischone

Compartilhar

Carlos Eduardo Francischone foi um dos mais prestigiados cirurgiões-dentistas brasileiros e um dos pioneiros da Implantodontia no país.

Um dos professores mais prestigiados da Odontologia brasileira, Carlos Eduardo Francischone, faleceu em 20 de maio, aos 71 anos. “Ado”, como era conhecido pelos amigos, passava por um difícil tratamento contra o câncer.

Marcado pela contribuição nas áreas de Dentística e Implantodontia, Francischone formou um numeroso grupo de ex-alunos e fieis admiradores. Ele foi autor e colaborador de uma extensa produção acadêmica, incluindo livros, capítulos e artigos no campo de pesquisa. Como professor e palestrante, ministrou centenas de aulas tanto no Brasil como no exterior. Também foi editor da revista Dental Press Implantology.

Além de contribuir por inúmeras vezes com a revista ImplantNews, como autor, entrevistado e membro de seu Conselho Científico, Francischone era uma figura sempre presente nos congressos promovidos pela revista, como o IN – Latin American Osseointegration Congress. Nestes eventos, destacava-se sempre entre os ministradores mais populares e mais respeitados.

Na década de 1990, Carlos Eduardo Francischone desempenhou um importante papel na história da Implantodontia osseointegrada no Brasil, ao lado do Prof. Dr. Laércio Vasconcelos, no acolhimento do Prof. Per-Ingvar Brånemark no Brasil. Ele foi um dos principais divulgadores da técnica, responsável pela formação de inúmeros profissionais da especialidade.

Era natural da cidade de Dois Córregos, no interior de São Paulo. No entanto, foi em Bauru que ele estabeleceu sua bem-sucedida carreira. A Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB-USP) teve um importante papel em sua formação. Foi lá que ele fez sua graduação em Odontologia, em 1971, e iniciou uma próspera trajetória na docência. Foi lá também que obteve os títulos de mestre (1976), doutor (1978), livre-docente (1984) e professor titular (2000). Além de lecionar na instituição que o formou, Francischone também teve passagens importantes pela Universidade Sagrado Coração e na São Leopoldo Mandic.