Tratamento de molares superiores com envolvimento de furca Grau III: série de casos com acompanhamento de 2 a 16 anos

Tratamento de molares superiores com envolvimento de furca Grau III: série de casos com acompanhamento de 2 a 16 anos

Compartilhar

Uma seleção dos artigos científicos mais relevantes publicados recentemente nos periódicos internacionais.

Ferreira CL, de Fátima Pedroso J, da Silva Lima VC, de Souza Ramos TC, Melo Filho AB, Neves Jardini MA. Treatment of Grade III furcation involvement in upper molars: Case Series with 2-16-year follow-up. J Indian Soc Periodontol 2020;24(4):387-91.

Por que é interessante: esta série de casos apresenta dados clínicos e radiográficos de pacientes que foram submetidos a amputações radiculares para o tratamento de furca grau III em molares superiores com acompanhamento de até 16 anos.

Desenho experimental: 13 molares superiores de dez pacientes foram tratados pelo mesmo operador, com terapia cirúrgica, que consistiu de: retalho de espessura total; ressecção da raiz escolhida com instrumento de alta rotação e brocas diamantadas; regularização da superfície para possibilitar a higiene do paciente e suturas. Antiinflamatório, antibióticos e analgésicos foram prescritos, além do enxaguante bucal com digluconato de clorexidina 0,12%. As suturas removidas após sete dias. O artigo não deixa claro se as raízes apresentavam tratamento endodôntico prévio. Parâmetros clínicos e radiográficos foram obtidos antes da terapia cirúrgica. Após a cirurgia periodontal, os pacientes foram mantidos em terapia periodontal de suporte (TPS).

Os achados: em todos os casos, a profundidade de sondagem e o sangramento a sondagem foram reduzidos; entretanto, bolsas residuais de bolsas profundas eram frequentes. Apesar disso, obteve-se um bom resultado após a terapia comparando os parâmetros clínicos iniciais.

Conclusão: o tempo de acompanhamento indica que a amputação radicular é uma alternativa eficaz em longo prazo, especialmente quando as condições locais, sistêmicas ou financeiras do paciente tornam difícil ou impossível a colocação do implante.

Veja o artigo original aqui.