O uso racional da fibrina rica em plaquetas (PRF) na Perioimplantodontia
Matriz de PRF. Imagens clínicas cedidas por Daniel Guião.

O uso racional da fibrina rica em plaquetas (PRF) na Perioimplantodontia

Compartilhar

Elcio Marcantonio Jr. e Daniel Guião destacam a importância de conhecer os eventos biológicos envolvidos no uso da fibrina rica em plaquetas. 

Um dos temas mais estudados na atualidade, a fibrina rica em plaquetas (PRF) tem estado cada vez mais presente nos procedimentos cirúrgicos da Odontologia. A matriz de fibrina obtida após a coleta sanguínea seguida da centrifugação possui propriedades de extrema importância no reparo tecidual, atuando como um reservatório bioativo de moléculas necessárias para a cicatrização de feridas e para a regeneração óssea. Uma revisão sistemática de estudos in vitro reúne algumas explicações a esse respeito, mostrando os achados que sugerem que a PRF induz à proliferação, migração, adesão e diferenciação celular, além de possuir propriedades anti-inflamatórias, o que corrobora ainda mais com seu potencial terapêutico na cicatrização de feridas e regeneração óssea1.

Entretanto, alguns clínicos esperam resultados da PRF que ultrapassam suas indicações de utilização. Por exemplo, não é incomum sermos perguntados se a PRF pode ser usada para substituir o enxerto de tecido conjuntivo. Um estudo avaliou os resultados do uso de membranas de PRF no recobrimento radicular em recessões Classes I e II de Miller2. Os resultados mostraram que o uso da PRF com esta finalidade não é indicado, uma vez que não houve maior recobrimento radicular, não aumentou a mucosa queratinizada e não melhorou os níveis de inserção clínica quando comparado a outras modalidades de tratamento.

Outra pergunta frequente é se as membranas de PRF são eficazes em procedimentos de regeneração óssea guiada. Segundo uma revisão3 que avaliou os efeitos da PRF em diferentes procedimentos e enxertia óssea, ainda não há estudos que comprovem que a PRF acelera a formação óssea em procedimentos de aumento ósseo. Além disso, não fica comprovada a melhora da cicatrização dos tecidos moles, nem diminuição de dor e edema ao se utilizar PRF em procedimentos de aumento ósseo. Diante disso, é muito importante que esteja claro o entendimento de que a PRF é uma rede de fibrina rica principalmente em plaquetas, leucócitos e fatores de crescimento, que propicia um arcabouço temporário. Ou seja, essa malha de fibrina é degradada no período entre sete e 14 dias. Este tempo não é suficiente para que se possa isolar o enxerto ósseo das células epiteliais, que é um princípio básico e necessário para uma regeneração óssea guiada (ROG) de sucesso.

Por outro lado, temos indicações muito interessantes para a utilização das membranas de PRF em cirurgias de enxerto gengival recobrindo a área doadora. Neste caso, a PRF traz mais conforto aos pacientes no pós-operatório, melhorando a cicatrização dos tecidos moles4, diminuindo a dor pós-operatória e induzindo uma precoce epitelização da ferida no palato5.

Portanto, para se obter resultados previsíveis na utilização da PRF nas diversas áreas da Odontologia, é necessário conhecer a fundo os eventos biológicos envolvidos neste processo, delineando assim indicações claras e cientificamente embasadas para a sua utilização.

Referências

  1. Strauss FJ, Nasirzade J, Kargarpoor Z, Stähli A, Gruber R. Effect of platelet-rich fibrin on cell proliferation, migration, differentiation, inflammation, and osteoclastogenesis: a systematic review of in vitro studies. Clin Oral Investig 2020;24(2):569-84.
  2. Moraschini V, Barboza ESP. Use of platelet-rich fibrin membrane in the treatment of gingival recession: a systematic review and meta-analysis. J Periodontol 2016;87(3):281-90.
  3. Dragonas P, Katsaros T, Avila-Ortiz G, Chambrone L, Schiavo JH, Palaiologou A. Effects of leukocyte-platelet-rich fibrin (L-PRF) in different intraoral bone grafting procedures: a systematic review. Int J Oral Maxillofac Surg 2019;48(2):250-62.
  4. Meza-Mauricio J, Furquim CP, Geldres A, Mendoza-Azpur G, Retamal-Valdes B, Moraschini V et al. Is the use of platelet-rich fibrin effective in the healing, control of pain, and postoperative bleeding in the palatal area after free gingival graft harvesting? A systematic review of randomized clinical studies. Clin Oral Investig 2021; Apr 7 (DOI:10.1007/s00784-021-03933-5). Epub ahead of print. PMID: 33829349.
  5. Gusman DJ, Matheus HR, Alves BE, de Oliveira AM, Britto AS, Novaes VC et al. Platelet-rich fibrin for wound healing of palatal donor sites of free gingival grafts: systematic review and meta-analysis. J Clin Exp Dent 2021;13(2):190-200.