Desempenho clínico e qualidade marginal de restaurações de resina composta posterior avaliadas após 12 anos

Desempenho clínico e qualidade marginal de restaurações de resina composta posterior avaliadas após 12 anos

Compartilhar

Uma seleção dos artigos científicos mais relevantes publicados recentemente nos periódicos internacionais.

Frankenberger R, Reinelt C, Glatthöfer C, Krämer N. Clinical performance and SEM marginal quality of extended posterior resin composite restorations after 12 years. Dent Mater 2020;36(7):e217-e28.

Por que é interessante: resinas compostas são amplamente aceitas como o material de escolha para restauração direta de cavidades posteriores. Uma avaliação de restaurações realizadas na última década pode contribuir para o entendimento das falhas mais relatadas.

Desenho experimental: este trabalho é uma avaliação prospectiva de 30 pacientes. Apenas cavidades parciais de duas ou mais faces foram inseridas na avaliação. Em cada avaliação, os autores realizaram moldes com silicone de adição e construíram modelos de resina epóxi. Os modelos foram levados para o microscópio eletrônico de varredura e as margens das restaurações foram avaliadas de maneira semiquantitativa.

Os achados: após 12 anos, dos 30 pacientes, apenas 27 voltaram para avaliação. Das 59 restaurações avaliadas, apenas duas falharam, correspondendo a uma taxa de 97% de sucesso. No entanto, 98% das restaurações apresentaram um degrau marginal negativo devido ao desgaste da resina ser mais acentuado do que o esmalte. A pigmentação das restaurações começou a ser realmente notada após quatro anos de uso, e 81% de novos casos de trincas no esmalte apareceram durante esses 12 anos.

Conclusão: as restaurações diretas posteriores de resina composta apresentaram um desempenho satisfatório ao longo de 12 anos de serviço clínico.

Veja o artigo original aqui.

João Paulo Mendes Tribst
Mestre e doutorando em Odontologia Restauradora, especialidade Prótese Dentária – Unesp/São José dos Campos.