Resistência adesiva entre pino de fibra de vidro e dentina radicular utilizando diferentes cimentos autoadesivos

Resistência adesiva entre pino de fibra de vidro e dentina radicular utilizando diferentes cimentos autoadesivos

Compartilhar

Estudo avalia a resistência adesiva dos cimentos resinosos autoadesivos na cimentação de pinos de fibra de vidro à dentina radicular.


AUTORES

Lana Thaís Seibt
Estudante de Odontologia – Faculdade CNEC Santo Ângelo.
Orcid: 0000-0002-8769-4265.

Viviane Theis Kohl
Estudante de Odontologia – Faculdade CNEC Santo Ângelo.
Orcid: 0000-0003-0288-9280.

Renan Vaz Machry
Doutorando em Ciências Odontológicas com ênfase em Prótese Dental – Universidade Federal de Santa Maria.
Orcid: 0000-0002-4658-9717.

Helder Callegaro Velho
Mestrando em Ciências Odontológicas com ênfase em Prótese Dental – Universidade Federal de Santa Maria.
Orcid: 0000-0002-5996-3755.

Luiz Felipe Valandro
Professor – Universidade Federal de Santa Maria.
Orcid: 0000-0001-7203-6924.

Jovito Adiel Skupien
Professor – Universidade Franciscana.
Orcid: 0000-0003-0892-3048.

Vinícius Felipe Wandscher
Mestre e doutor em Ciências Odontológicas com ênfase em Prótese Dentária – Faculdade CNEC Santo Ângelo.
Orcid: 0000-0002-2542-3590.


RESUMO

Objetivo: avaliar a resistência de união dos cimentos resinosos autoadesivos na cimentação de pinos de fibra de vidro à dentina radicular. Material e métodos: foram utilizadas 75 raízes bovinas alocadas em cinco grupos (n=15), de acordo com o cimento autoadesivo: Multilink Ivoclar (Ivoclar Vivadent), Maxcem Elit (Kerr), Megalink Auto (Odontomega), Set PP (SDI) e Calibra Universal (Dentsply Sirona). As raízes foram cortadas em 16 mm de comprimento e preparadas em 12 mm com a broca do sistema de pinos. Em seguida, foram fixadas em paralelômetro paralelas ao plano vertical e embutidas em bases de resina acrílica autopolimerizável. Os pinos foram limpos com álcool 70° e um agente de união silano foi aplicado na superfície. Após, foram cimentados com os devidos cimentos resinosos seguindo o protocolo dos fabricantes. Depois de armazenados em ambiente úmido por sete dias a 37°C, os espécimes foram seccionados perpendicularmente em fatias (1,5 mm ± 0,2 mm de espessura) e submetidos ao teste de push-out (1 mm/min. até a falha). Os valores de resistência foram tabulados e submetidos à análise estatística SPSS 21 (Version 21, IBM – Chicago/IL, EUA). As falhas foram classificadas em adesivas (CD: entre cimento e dentina; CP: entre cimento e pino), mistas (M) e coesivas (CoesP: coesiva do pino; CD: coesiva de dentina; CC: coesiva do cimento). Resultados: os espécimes cimentados com Set PP (6,3 ± 3,8) apresentaram os maiores valores, seguidos do Multilink (4,3 ± 2,5), Megalink (4,1 ± 1,5), Maxcem (2,6 ± 1,3) e Calibra (2,8 ± 1,6). Conclusão: a resistência adesiva de pinos de fibra cimentados com cimentos autoadesivos parece ser marca-dependente, entretanto estudos clínicos são sugeridos.

Palavras-chave – Resistência; Materiais dentários; Pino de fibra; Cimento dentário.

ABSTRACT

Objective: to evaluate the bond strength of self-adhesive resin cements when cementing fiberglass posts to root dentin. Material and methods: in the present study, 75 bovine roots were used in five groups (n=15) according to the self-adhesive cement: Multilink Ivoclar (Ivoclar Vivadent), Maxcem Elit (Kerr), Megalink Auto (Odontomega), Set PP (SDI) and Universal Calibration (Dentsply Sirona). The roots were cut in 16 mm long and prepared in 12 mm with the customized post system drill. Then, they were fixed parallel to the vertical plane and embedded in self-curing acrylic resin. The fiber posts were cleaned with 70° alcohol and a silane bonding agent was applied to the surface. The cementation followed the manufacturers’ protocol. After storing in a humid environment for 7 days at 37°C, the specimens were sectioned perpendicularly in slices (1.5 ± 0.2 mm thick) and subjected to the push out test (1 mm/min. until failure). Resistance values were tabulated and submitted to appropriate statistical analysis SPSS 21 (Version 21, IBM – Chicago/IL, USA). The failures were classified as adhesive (CD: between cement and dentin; CP: between cement and post), mixed (M) and cohesive (CP: post cohesive; CoesD: dentin cohesive; CC: cement cohesive). Results: the specimens cemented with Set PP (6.3 ± 3.8) presented the higher values followed by Multilink (6.3 ± 3.8), Megalink (4.1 ± 1, 5), Maxcem (2.6 ± 1.3) and Calibra (2.8 ± 1.6). Conclusion: in this way, the adhesive strength of fiber post cemented with self-adhesive resin cement seems to be brand dependent; however, clinical studies are suggested.

Key words – Resistance; Dental materials; Fiber post; Dental cement.

Recebido em dez/2020
Aprovado em jan/2021