Oito a onze anos de acompanhamento de implantes em carga imediata colocados em maxilas edêntulas com volume ósseo comprometido e baixa qualidade óssea: um estudo de coorte prospectivo

Oito a onze anos de acompanhamento de implantes em carga imediata colocados em maxilas edêntulas com volume ósseo comprometido e baixa qualidade óssea: um estudo de coorte prospectivo

Compartilhar

Uma seleção dos artigos científicos mais relevantes publicados recentemente nos periódicos internacionais.

Trbakovic et al. Eight to eleven-year follow up of immediately loaded implants placed in edentulous maxillae with compromised bone volume and poor bone quality: a prospective cohort study. Clin Implant Dent Relat Res 2020;22:69-76.

Por que é interessante: acompanhamento longitudinal de implantes imediatos na maxila atrófica sem volume e com pobre qualidade óssea.

Desenho experimental: 25 indivíduos com qualidade óssea C, D e tipos 3 e 4. Implantes com 3,5-4 mm de diâmetro e 10-13 mm de comprimento. Implantes mais distais sempre angulados para o assoalho nasal. Sítios sempre com subfresagem. Avaliações da perda óssea marginal depois de um, três, cinco, oito e 11 anos. Exame clínico com remoção da prótese, avaliação da perda óssea marginal, sangramento, placa, pus e profundidade de sondagem.

Os achados: 17 pacientes (101 implantes). Taxa de sobrevivência de 81,9%. Taxa de sucesso de 74,1%. Perda óssea de 1,29 mm ± 2,47 mm. 72% dos implantes apresentaram sangramento a sondagem. A média de perda óssea no osso tipo 4 foi de 2,48 mm, e no tipo 3 foi de 1,05 mm (p < 0,02).

Conclusão: o protocolo é considerado satisfatório em pacientes selecionados.

Veja o artigo original aqui.