O próximo passo da Reabilitação Oral

O próximo passo da Reabilitação Oral

Compartilhar

Aziz Constatino acredita que a próxima tecnologia a impactar a Odontologia será a introdução dos compósitos na produção de superestruturas para próteses totais e parciais. 

A Reabilitação Oral tem evoluído de forma notória nos últimos anos. Além de uma compreensão mais aprofundada do sistema estomatológico e do desenvolvimento de novos protocolos terapêuticos, esta área se beneficiou principalmente das inovações tecnológicas que foram incorporadas à sua rotina.

Em um passado recente, os implantes odontológicos foram os principais responsáveis pelos grandes saltos inovadores da Reabilitação Oral e da Odontologia como um todo, com a incorporação de novos desenhos macrogeométricos e tratamentos de superfícies para acelerar e potencializar o processo biológico de osseointegração. Nos últimos anos, no entanto, nenhum dos lançamentos apresentados pela indústria conseguiu trazer novidades significativamente relevantes, haja vista a crescente comoditização das marcas premium, cada vez mais equiparadas às faixas intermediárias de preço do mercado.

Hoje, a grande vitrine das inovações tecnológicas da Reabilitação Oral está na Odontologia digital. Os scanners intraorais, por exemplo, proporcionam um ganho significativo na qualidade dos trabalhos e na economia de tempo (embora ainda existam limitações nas captações de grandes reabilitações múltiplas e em áreas subgengivais). Trata-se de uma inovação revolucionária, sem dúvida, assim como as ferramentas de planejamento virtual, fresagem e impressão 3D. Além disso, a disseminação dos fluxos de trabalho digitais e da tecnologia CAD/CAM abriu as portas para a utilização de novos materiais cerâmicos nas reabilitações protéticas.

Além de todas as inovações citadas até aqui, acredito que a próxima tecnologia a impactar a Odontologia será a introdução dos compósitos na produção de superestruturas para próteses totais e parciais. Trata-se de uma resina epóxi reforçada com fibras de vidro em distribuição tridimensional que foi desenvolvida originalmente para a indústria aeroespacial. O material possui inúmeras vantagens mecânicas, estéticas e de produtividade em substituição às estruturas de metal fundido, cromo-cobalto e zircônia, eliminando os problemas clássicos, como alteração dimensional, cor, peso e baixa adesividade a materiais estéticos.

Este material revolucionário, que recebeu o nome comercial de Zantex, foi desenvolvido nos Estados Unidos e está sendo trazido com exclusividade para o Brasil pela Intra-Lock. Outra novidade é que, a partir de junho, nossa empresa passa a se chamar Zenitch, expandindo nossa atuação comercial além da já conhecida linha de implantes e componentes do Intra-Lock System para outros produtos de alta tecnologia na reabilitação cirúrgica e protética.