Cirurgias piezoelétricas: um salto na Implantodontia

Cirurgias piezoelétricas: um salto na Implantodontia

Compartilhar

Com indicações de uso comuns, as cirurgias piezoelétricas levam vantagens importantes para diversos procedimentos na Implantodontia.

Dentre as inúmeras aplicações que a tecnologia piezoelétrica oferece, a Implantodontia tornou-se uma das áreas que mais beneficiou, por meio de técnicas de enxertia ou expansão óssea, a fim de recompor o volume ósseo para a instalação de implantes. Entre as indicações de uso comuns, está o levantamento de seio maxilar (sinus lift). Diante do desafio de evitar a perfuração acidental da membrana de Schneider, os instrumentos piezoelétricos levam vantagem.

Outra indicação comum está na coleta e enxerto de fragmentos ósseos autógenos com tamanho ideal e baixa geração de calor, provocando um trauma menor em relação aos métodos convencionais. Todas as características pontuadas pela técnica, envolvendo precisão de corte, clareza do campo visual e microprecisão, se aplicam a outras técnicas frequentemente usadas na Implantodontia, tais como: distração osteogênica alveolar, remoção de implantes fraturados, lateralização do nervo alveolar inferior etc.

Imagens de pontas e equipamentos cedidas por Acteon e CVDentus.

Por ser uma técnica relativamente nova, a cirurgia piezoelétrica apresenta algumas peculiaridades complexas. Uma questão levantada por profissionais acostumados às práticas tradicionais está relacionada à curva de aprendizado e às mudanças de postura em contraponto aos procedimentos convencionais. O corte piezoelétrico, baseado essencialmente na firmeza e nos movimentos da peça de mão, nas configurações do equipamento e na escolha da ponta ativa, requer habilidade e treino do profissional.

Até por conta desta diferença no manuseio da peça, somado ao tempo cirúrgico estendido durante os preparos, o uso de outras técnicas, incluindo serras ou brocas, ainda é comum, principalmente em cirurgias ortognáticas que retiram grandes porções de osso ou em casos como a regularização de rebordos muito densos para confecção de próteses do tipo protocolo.

Opções de mercado

Outros fabricantes surgiram no mercado oferecendo uma variedade maior de dispositivos, com potência, frequência, programas para calibração e tipos de pontas diferentes. As múltiplas opções corroboram a percepção de que a variação na eficiência de corte é muito ampla.

Além do investimento inicial, os interessados na aquisição do equipamento devem considerar também o custo para substituição periódica das pontas cirúrgicas, que possuem diferentes durabilidades, dependendo do fabricante e da tecnologia usada em sua produção. Especialistas alertam para o risco do uso de pontas genéricas disponíveis no mercado. Além da qualidade inferior, há relatos de problemas envolvendo desgaste excessivo, que podem danificar a peça de mão.

Como a cirurgia piezoelétrica vem ganhando notoriedade apenas nas últimas três décadas, há um longo caminho a ser explorado. Em geral, ela demonstra ser extremamente versátil, indicada para uma grande variedade de procedimentos que requerem corte ósseo rápido, preciso, seguro e com menor trauma.

Algumas técnicas cirúrgicas com o emprego da cirurgia piezoelétrica

– Osteotomias e osteoplastias de rotina
– Levantamentos de seio
– Expansão de rebordo alveolar
– Distração osteogênica
– Descorticação óssea
– Cirurgias periodontais e parendodônticas
– Amputação e raspagens radiculares
– Limpeza extrarradicular apical
– Extração de terceiros molares mandibulares impactados
– Lateralização de nervo alveolar inferior
– Extração de raízes com anquilose alveolodentária
– Remoção de enxerto ósseo
– Coleta de osso particulado e blocos ósseos
– Corticotomias de precisão para movimentação dentária
– Segmentação e expansão de maxila (Ermac)
– Remoção de elementos dentais inclusos e/ou impactados
– Tratamento de pacientes sindrômicos (Le Fort III)
– Correção de deformidades (osteotomia Le Fort I)
– Remoção de cistos e tumores intraósseos
– Confecção do leito para instalação de implante dentário
– Cirurgias otorrinolaringológicas e rinoplastias