A doença periodontal como fator predisponente para o estabelecimento da pneumonia nosocomial

A doença periodontal como fator predisponente para o estabelecimento da pneumonia nosocomial

Compartilhar

Uma seleção dos artigos científicos mais relevantes publicados recentemente nos periódicos internacionais.

Aragão LDS, Dias KSPA. A doença periodontal como fator predisponente para o estabelecimento da pneumonia nosocomial: revisão de Literatura. Id on Line Rev. Mult. Psic. 2019

Por que é interessante? A revisão da literatura estabelece uma relação entre a doença periodontal e a pneumonia nosocomial (PN). As repercussões que a ausência de cuidados com a saúde bucal pode causar a nível sistêmico são discutidas no artigo, a partir das evidências científicas que comprovam a relação da doença periodontal com o estabelecimento da PN em pacientes internados em unidades de terapia intensiva (UTIs).

Desenho experimental: 23 artigos datados entre abril de 2002 e março de 2019 foram extraídos nas bases de dados PubMed, Scielo e Lilacs a partir dos descritores, e a análise dos dados encontrados foi realizada de forma descritiva.

Os achados: o estudo revela que o biofilme bucal pode auxiliar no surgimento da PN quando colônias bacterianas presentes na saliva contaminada são translocadas para o aparelho respiratório inferior e conseguem vencer o sistema imunológico. A aglomeração de pessoas doentes, com comprometimento imunológico em UTIs, faz com que esse ambiente apresente grande quantidade e propagação de microrganismos extremamente resistentes a antibióticos. A adoção de medidas periodontais preventivas e a atuação de cirurgiões-dentistas em UTIs são de extrema importância para o controle da doença.Os achados: o estudo revela que o biofilme bucal pode auxiliar no surgimento da PN quando colônias bacterianas presentes na saliva contaminada são translocadas para o aparelho respiratório inferior e conseguem vencer o sistema imunológico. A aglomeração de pessoas doentes, com comprometimento imunológico em UTIs, faz com que esse ambiente apresente grande quantidade e propagação de microrganismos extremamente resistentes a antibióticos. A adoção de medidas periodontais preventivas e a atuação de cirurgiões-dentistas em UTIs são de extrema importância para o controle da doença.

Conclusão: os autores concluíram que a inter-relação dessas doenças tem causado graves consequências sistêmicas, enfatizando a necessidade de reforçar a higiene bucal como medida preventiva.

Veja o artigo original aqui